Almas de Pedra. Escultura Tumular: da Criação à Musealização

O Instituto de Estudos Medievais e o Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, juntamente com o Centro de Investigação e Estudos em Belas Artes da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e em colaboração com o Museu Nacional de Arte Antiga organizam o Congresso Internacional “Almas de Pedra. Escultura Tumular: da Criação à Musealização”, que decorrerá de 2 a 4 de Novembro de 2017, no MNAA, em Lisboa.

~

Aescultura tumular constitui uma fonte privilegiada para o perscrutar da Idade Média, devidamente reconhecida e consideravelmente explorada pela comunidade científica internacional. Partindo de diferentes áreas científicas e metodologias, as conclusões dos estudos que têm vindo a desenvolver-se e, nalguns casos, as revisões de discurso proporcionadas por estes, revelam a riqueza, a pertinência e o potencial da temática. Desvendando personagens e processos, materializando pensamentos, combinando, de forma dinâmica e complexa, revelações do corpo e da alma de uma existência individual que assim se perpetua, o moimento abre-nos uma janela sobre realidades por outro meio difíceis – ou impossíveis – de alcançar. E o jogo que nos propõe é desafiante: entre uma aspiração espiritual e expectativas terrenas; entre um produto estético e uma peça carregada de mensagem; entre a revelação da forma concreta de um corpo que, exibido em vulto sobre o sepulcro, não se degrada, e a captação de uma alma que, aprisionada na pedra, se mantém num limbo para uma passagem que de certa forma nunca se opera. Esta complexidade do túmulo medieval, simultaneamente fenómeno artístico, estético, espiritual, histórico, antropológico, sociológico e cultural, obriga a uma verdadeira interdisciplinaridade, a qual se pretende, com este congresso, convocar.
De igual modo, a frequente manipulação destas peças e, sobretudo, a sua descontextualização colocam aos seus investigadores desafios de ordem diversa. Por um lado, há que entender o impacto de tais processos na compreensão desses sepulcros, buscando uma sua análise à luz do contexto original para o qual foram produzidos e no qual foram recebidos; por outro, cabe pensar as mais adequadas formas de os respeitar e valorizar, enquanto peças exibidas num contexto museológico. De igual modo, importa debater as possibilidades de potenciar o entendimento e valorização dos túmulos que se conservam in situ, fornecendo aos seus visitantes as chaves interpretativas para a compreensão dos mesmos.
Outro aspecto que se pretende explorar é o da materialidade, a originária e aquela que lhe foi sobreposta: os critérios de intervenção nestas peças com o objetivo do seu restauro e recuperação, na perspectiva da sua conservação como herança para os vindouros.
Da criação à musealização: é neste ciclo de longa duração e multifacetado, nesta espécie de vida total das esculturas, que se pretende repensar, entender, questionar e perspectivar o túmulo medieval, reunindo investigadores, museólogos, restauradores de diversas nacionalidades e abrindo espaço ao debate entre diversas áreas disciplinares.
O congresso será organizado em quatro sessões, três das quais dedicadas a comunicações e a última à apresentação de projectos de investigação a decorrer no campo da escultura funerária.

Todas as sessões, incluindo a dos projectos, serão iniciadas com uma conferência proferida por um especialista com trabalho/investigação reconhecidos em cada área científica.

O congresso incluirá uma visita ao Mosteiro de S. Dinis de Odivelas, nos arredores de Lisboa. Esta fundação dos finais do séc. XIII alberga algumas das mais representativas peças da produção escultórica do Gótico português, peças que foram recentemente submetidas a trabalhos de restauro.

~

PROGRAMA PROVISÓRIO ​

2 de Novembro de 2017
 
9h00 – Registo dos Participantes
9h30 – Sessão de Abertura

10h00 – Conferência de Abertura
Clario Di Fabio (Università di Genova), Monumenti funerari italiani tra fine Due e primo Trecento: ricostruzione e musealizzazione. Problemi di metodo e casi di studio

Sessão 1: Os processos criativos das obras e seus agentes: da encomenda e conceção à realização final

​Sessão 1.1 Processos de criação e produção​10h40 – Alessandro Cosma (La Sapienza Università di Roma), Una tomba per un santo conteso. Gli eremitani, l’arca di San Pietro in Ciel d’Oro e il “nuovo Agostino”: questioni di cronologia e iconografia11h00 – Marie Quillent (Université de Picardie Jules Verne), Les artisans de la mémoire et leur(s) processus de création: l’exemple des monuments funéraires du diocèse d’Amiens 11h20 – Andrea Pala (Università degli Studi di Cagliari), La scultura funeraria nell’isola di Sardegna tra XII e XIV sec. Rapporti e interazioni con la cultura figurativa del Mediterraneo Occidentale

Pausa para café: 11h20 – 11h40
11h40 – Francisco Teixeira (Universidade do Algarve), A microarquitectura nos túmulos de D. Pedro e D. Inês de Castro: “dos cadernos de modelos” à mise en abyme12h00 – Francisco Henriques (CIEBA, Universidade de Lisboa), Os túmulos góticos do Panteão dos Almeida em Abrantes.Estratégias de significação12h20 – Sophie Oosterwijk (University of St Andrews), Souls of gold, silver and bronze: precious-metal effigial tombs in medieval Europe
Debate: 12h40 – 13h10

Pausa para Almoço: 13h10 – 14h30

14h30 – Conferência
Manuel Arias (Museu Nacional de Escultura de Valladolid), Conjuntos sepulcrales en el Museo Nacional de Escultura: de Bigarny a Leoni. Exhibición y problemática

Sessão 1.2 Imagem e contexto15h10 – Fabien Kommoss (University of Potsdam; University of Zurich), The Eternal Body as Tomb. Iconization of mummified masters in East Asian Chan/Zen Buddhism15h30 – Sabine Berger (Université Paris-Sorbonne, Centre André Chastel), Les tombeaux des conseillers du roi de France vers 1300: piété et politique sous les derniers Capétiens directs15h50 – Lúcia Rosas, Ana Cristina Sousa (Faculdade de Letras da Universidade do Porto), Enquanto o mundo durar: tempo, espaço e memória a partir de três estudos de caso16h10 – Francesca Tota (Bibliotheca Hertziana; Max Planck-Institut für Kunstgeshichte), La vittoria sulla morte. Per una nuova lettura dell’arca di re Ladislao Durazzo in San Giovanni a Carbonara a Napoli16h30 – Diana Lucía Gómez-Chacón (Universidad Complutense de Madrid), A Tomb for a Royal Prioress. The sepulchre of Costanza de Castilla in the National Archeological Museum of Madrid

Pausa para café: 16h50 – 17h10

​17h10 – David Nogales Rincón (Universidad Autónoma de Madrid), The Royal Reclining Tomb Effigy. Continuities and Discontinuities of a Funerary Model in the Crown of Castile (1252-1504)17h30 – Maurizio Ficari (La Sapienza Università di Roma), A cavallo nell’Aldilà. Il sepolcro di Antonio Rido in santa Maria Nova a Roma17h50 – Alessandro Diana (Scuola Normale Superiore, Pisa-Firenze), La rappresentazione del libro nella scultura funeraria: un’indagine critica dall’antichità al Rinascimento
Debate: 18h10 – 18h40

19h00 – Visita à Colecção de Escultura do Museu Nacional de Arte Antiga

3 de Novembro de 2017

9h30 – Conferência
Susie Nash (The Courtauld Institute of Art), Time, Dust and Polish:  Dinant marble in tombs for the courts of France and Burgundy

Sessão 2:  A recepção das obras: usos, abusos e interpretações

Sessão 2.1 Escultura funerária e liturgia10h10 – Lizzie Swarbrick (University of St Andrews), “Avise la Fin”: Bishop Kennedy’s Tomb and the Performance of the Liturgy at St Salvator’s, St Andrews10h30 – Andrew Murray (University College London), Processional and Memorial Rituals amongst the Mourners of Philip the Bold’s Tomb

Pausa para café: 10h50 – 11h10

Sessão 2.2 Processos de comemoração11h10 – Pierre-Vincent Claverie (Centre de recherche scientifique de Chypre), Les eloges funèbres dans l’art funeraire de Terre Sainte et de Chypre à l’époque des croisades11h30 – Cristina Stancioiu (College of William and Mary, VA), Cypriot Funerary Portraiture in Stone ant Paint, late-13th-15th centuries11h50 – Luigi Tufano (Università degli studi di Napoli “Federico II” – CESURA), Le parole dei nobili. Epigrafi pseudo-parlanti e tombe nobiliari nella Napoli aragonese tra modelli culturali, propaganda politica e celebrazione familiare12h10 – Vanessa Bortulucce (Museu de Arte Sacra de São Paulo), Iconografia medieval na arte tumular do cemitério da Consolação e da Necrópole São Paulo
Debate: 12h30 – 13h00
Pausa para Almoço: 13h00 – 14h30

Sessão 3: A “manipulação” das obras: intervenções, movimentações, descontextualizações

14h30 – Elisa Eccher (Università degli Studi di Trento), Il Monumento Bossi già nella chiesa di San Marco a Milano: vicende critiche e proposte attributive14h50 – Jorge Prata (Universidade de Coimbra), O Património como Preservação ou Construção da Memória: a transladação dos túmulos de Pedro e Inês15h10 – Sonia Morales Cano (Universidad de Castilla-La Mancha), Una sepultura de alabastro convenyble a mi persona. El sepulcro de Doña Aldonza de Mendoza, domus aeterna para la memoria y la salvación15h30 – Lisa Rafanelli (Manhattanville College, NY/USA), Michelangelo’s Pietà and its Afterlife
Debate: 15h50 – 16h10

Pausa para café: 16h10 – 16h30

16h30 – Conferência
Truus van Bueren, Corinne van Dijk (Universitet Utrecht), Medieval Memoria Online: purpose, possibilities and pitfalls

Sessão 4:  Projectos de Investigação

17h10 – Mirko Vagnoni (Université de Friburg), Royal Epiphanies. The King’s Body as Image and Its Mise-en-scène in the Medieval Mediterranean (12th-14th centuries)17h25 – Joana Ramôa Melo, António Candeias (NOVA FCSH; LabHercules-UÉvora),Desvendando as cores medievais. Um estudo de caso sobre policromia no final da Idade Média: a Capela do Fundador em S. Maria da Vitória, na Batalha17h40 – Leo Lecci, Luca Bochicchio (Università degli Studi di Genova), Staglieno, il cimitero monumentale di Genova: da centro di diffusione del gusto ottocentesco a laboratorio sperimentale di museo 2.017h55 – Viviane Comunale (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho),Tipologias e o património artístico no Cemitério Consolação em São Paulo18h05 – Tom Verhofstadt (Epitaaf vzw, Bruxelles), An unique funerary plaster collection – The Salu Company in Laken, Brussels
Debate: 18h20 – 18h50

19h00 – Exposição dos Posters dos Projectos de IInvestigação

4 de Novembro de 2017
 
Sessão 5: Preservar as obras, preservar a memória: ações para conservação, valorização e musealização
​9h00 – Jessica Barker (University of East Anglia), The Conservation of Funerary Monuments in the Middle Ages9h20 – Valeria Danesi, Jacopo Curzietti (La Sapienza Università di Roma), Memorie funerarie medievali in S. Giovanni in Laterano. Un pionieristico caso di allestimento e riqualificazione nella Roma del Seicento9h40 – Haude Morvan (Université de Bordeaux Montaigne, UMS Ausonius), “Un des plus superbes tombeaux qui soit en France”: la fortune de la tombe clermontoise du cardinal Hugues Aycelin

Pausa para café: 10h00 – 10h20

​10h20 – Sophie Jugie (Département des Sculptures, Musée du Louvre), A propos du tombeau de Philippe Pot: une relecture du thème des pleurants10h40 – Mª Júlia Fonseca, Fernando Costa (Mosteiro de Santa Clara-a-Velha; Instituto Politécnico de Tomar), Escultura de Cristo jacente – Dificuldades de intervenção de restauro11h00 – Chloe Sharpe (University of York),Cemeteries as museums, museums as cemeteries: Exhibiting Spanish funerary sculpture, ca. 1900
Debate: 11h20 – 11h50

12h00 – Conclusões
Xavier Dectot (National Museum of Scotland)

12h30 – Conferência de Encerramento
Manuel Botelho (Faculdade de Belas Artes de Lisboa),A (im)permanência do gesto

Pausa para Almoço: 13h00 – 14h30

14h30 – Partida para visita ao Mosteiro de S. Dinis de Odivelas


Thursday 2 November 2017 - Saturday 4 November 2017